ESCRAVISMO E AS ESCRITURAS SAGRADAS

José Carlos Moreira

Resumo


Este artigo busca contribuir às questões envolvendo escravismo histórico nas Américas em relação às Escrituras Sagradas; refletir sobre teorias evolucionistas das supostas raças humanas, algumas superiores e outras inferiores, com consentimento da Igreja.[1] Algumas dessas teorias, por exemplo, diziam que representantes da raça considerada superior, detentores de alta tecnologia, poderiam dominar outras raças pelo simples “desejo de poder”, independentemente da moralidade, por entender situar-se “acima de bem e do mal”.[2] O método adotado é o histórico-crítico, interpela história e teologia com foco na ciência social humanista. Os resultados apontam a carência da história humana na sociedade.

 

Palavras-Chave: Escravidão – Maldição – Liberdade.

[1] GONZÁLEZ, Justo L. História ilustrada do cristianismo: a era dos reformadores até a era inconclusa – vol. 2. São Paulo: Vida Nova, 2011, p. 416-419.

[2] RICHARDSON, Don. O Fator Melquisedeque: O testemunho de Deus nas culturas por todo o mundo. São Paulo: Vida Nova, 2008, p. 157.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35521/unitas.v9i1.973

Apontamentos

  • Não há apontamentos.