REFORMA PROTESTANTE: MEMÓRIAS E IMAGINÁRIOS

Brunno Ferreira Gomes

Resumo


 

A presente pesquisa tem como objetivo analisar a Reforma Protestante, que completa 500 anos em 2017, com o fim de destacar a memória e imaginários deste movimento. Para alcançar tal objetivo, procurou-se apresentar num primeiro momento as motivações de Lutero para empreender uma série de críticas à Igreja Romana, cujo ápice ocorreu em 1517 com a afixação na porta de uma capela em Wittenberg de 95 proposições, ou teses, condenando a prática de indulgências e defendendo a doutrina da salvação pela fé, processo que levaria a uma cisão espiritual na cristandade. Como base para pesquisa, optou-se principalmente por dois autores, Gaston Bachelard e Gilberto Durand (1998), a partir dos quais foi possível analisar a presença das memórias e imaginários na Reforma Protestante. O olhar e a memória são realçados na perspectiva do imaginário. As conclusões da pesquisa mostram a presença da memória e do imaginário e suas influências na Reforma Protestante. A metodologia utilizada foi uma pesquisa bibliográfica, analisada a partir de livros e artigos já publicados para a confirmação das informações.

 

 

 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.