A religião enquanto instrumento de libertação do homem como sujeito social: um estudo a partir da perspectiva de Rubem Alves.

Joseane Zacché Avellar, Darlon de Oliveira Souza, Keylla Cristina Coura Ribeiro

Resumo


 

Resumo

O presente artigo tem como proposição explorar os argumentos empregados por Rubem Alves[1] a respeito dos seus questionamentos sobre o tema Religião a partir da concepção institucionalizada de uma crença e como esta pode oprimir o homem enquanto sujeito social. Absorto em seus pensamentos, Alves prenuncia uma nova concepção de religião que parte do princípio de que este mesmo homem social se revela como sujeito imbuído de esperanças e expectativas para se libertar da situação de opressão a que é submetido em uma sociedade de classes injusta e desigual.


[1] Rubem Alves (1933-2014) foi pastor presbiteriano brasileiro, teólogo, psicanalista, educador, escritor. Publicou várias obras na área de Teologia, de Educação, bem como livros infantis. Disponível em http://www.institutorubemalves.org.br/. Acesso em 03/08/2016.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.