Implicações Metafísicas e Pós-Metafísicas para o Conceito de Morte na Experiência Religiosa

Wagner Ferreira Vaz

Resumo


Este estudo foi realizado a partir de uma busca bibliográfica para um melhor entendimento em relação a uma situação comum a todos, a morte. Não é possível fugir dessa realidade, portanto, essa pesquisa nos levará a entender esse fenômeno como uma etapa importante e completa da vida. O Objetivo é tornar este tema menos agressivo e evitado com a pretensão de uma maior familiarização com o mesmo e um entendimento mais próximo e completo. Não me atrevo afirmar que todas as formas de lidar com o tema foram aqui descritas, mas, segundo Heidegger é possível aceitar de forma mais amena, sem as revoltas comuns do momento. O nascimento pode significar o resultado de um amor verdadeiro e a morte pode ser vista como a passagem desse amor para outra dimensão.  Nesta perspectiva não há uma separação da vida e da morte, existe apenas uma mudança para uma dimensão ainda desconhecida. A problematização deste estudo será responder a pergunta: Como a morte pode ser a totalidade da vida na experiência religiosa? Heidegger tem a convicção de que o ser humano reconhecendo a morte como parte da realidade autêntica e fim da existência conseguirá alcançar a liberdade de seu ser mediante a angústia de vivenciá-la. Para ajudar a responder as implicações metafísicas e pós-metafísicas sobre o conceito de morte na experiência religiosa, buscou-se ajuda na filosofia da linguagem para significar os termos verdade, morte e religião. 


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.