RELIGIÃO E RELIGIOSIDADE

Brunno Ferreira Gomes

Resumo


Este artigo tem como principal objetivo destacar a religião na sociedade moderna fazendo distinção entre a religião e a religiosidade. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica onde se encontram as conotações de Max Weber (1864-1920); Durkheim; Karl Marx: Eles formam a Tríade Clássica da sociologia. Weber procurava datar a sociologia de lentes conceituais capazes de observar com objetividade fenômenos como a religião e a política. A justificativa destes estudos está em colocar em destaque as religiões, que se observa e toda a sociedade, onde a religião é utilizada como forma de socialização e comunhão de ideias, práticas e valores. De acordo com Durkheim a religião é um meio de coesão entre os grupos sociais e Karl Marx ficou imortalizado com a sua frase: “A religião é o ópio do povo”. A hipótese levantada está em propiciar a integração dos costumes e partilha de seus aspectos comuns. A religião tranquiliza o espírito diante dos problemas e situações que desagradam. Ela vem manter a sociedade e o que pertence à sociedade. Os estudos concluem que não é possível viver sem religião e ou religiosidade, pois fazem parte da vida do ser humano. Nas considerações de Herviem-Léger (1993, p. 36), a religião não termina com a secularização, mas ganha novas formas e contornos, novos sabores, numa dinâmica em que ao mesmo tempo em que se esgota, se dilui, renasce, ressurge e se difunde.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.