UM SALTO PARA O AMOR DO CRIADOR: A CONVERSÃO RELIGIOSA SEGUNDO SØREN KIERKEGAARD E HANNAH ARENDT

Elissa Fernandes Gabriela

Resumo


Søren Kierkegaard, teólogo e filósofo, profundamente envolvido com a narrativa de Abraão – que foi chamado por Deus para oferecer seu filho Isaac em holocausto a Ele –, formulou o “salto da fé”, movimento este em que o ser humano deixa o ser ético e segue em direção ao ser religioso. Fundado na própria ambiguidade presente no paradoxo de Abraão, uma vez religioso, a existência deixa de ser finita e se torna finita e infinita. Hannah Arendt, leitora e simpatizante de Kierkegaard, escreveu sua tese de doutorado intitulada "O Conceito de Amor em Agostinho", na qual elaborou uma análise aprofundada acerca do momento em que o ser humano, como criatura, se reconhece como tal face a Deus.  Ao encontrar a si mesmo, o mundo se torna um lugar de uso e o céu um local de fruição, onde o verdadeiro amor se excede. Este trabalho pretende analisar a relação entre a ideia agostiniana de amor estudada por Arendt e relacioná-la com o movimento de fé estabelecido por Kierkegaard, criando assim uma conexão entre os dois autores utilizando o próprio processo de conversão religiosa como elo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.