O MUNDO DOS MORTOS NO ANTIGO EGITO: INTERPRETAÇÃO SOCIOLÓGICA DOS FUNERAIS EGÍPCIOS EM PERSPECTIVA DURKHEIMIANA.

George Francisco Corona

Resumo


Os rituais religiosos mais antigos da humanidade são os funerários, e o Egito Antigo se interessou muito por este tema. Suscita-se uma questão: há um significado sociológico para as crenças e práticas funerárias egípcias? Para responder a esta indagação foram analisados os rituais funerários egípcios,  buscando o seu sentido social à luz do pensamento de Émile Durkheim. Para este sociólogo o significado dos rituais funerários egípcios é manter a coesão social e evitar a todo custo sua desagregação. A manutenção do pensamento mitológico é decisiva para manter o controle social, a ordem e a unidade política e territorial do país. Logo, tudo o que os funerais explicam sobre a morte e suas consequências, também explicam sobre a vida em sociedade e suas necessidades de preservação. O ideal egípcio de vida eterna e pós-morte era o seu ideal de vida social. Entender a morte egípcia é entender, na realidade, sua vida.

Palavras-chave: Rituais Funerários. Egípcio. Durkheim. Sociedade.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35521/unitas.v4i1.255

Apontamentos

  • Não há apontamentos.