NA PELE DO OUTRO: por si só, Adam?

Pablo Rangel Cardoso da Costa Souza, Flávio Schmitt

Resumo


A soteriologia – doutrina da salvação – foi e é alvo de discussão acalorada no meio cristão. Ela trata sobre como Deus salva o homem e a mulher. A teologia Reformada procura explicar de maneira honesta a salvação do povo que Cristo redimiu. Conforme a teologia evangélica, a humanidade – Adam – está morta em seus delitos e pecados, portanto, está em plena inimizade com Deus. Essa soteriologia parte do princípio que a salvação acontece pela graça e pela fé somente em Cristo – do início ao fim. Por outro lado, a soteriologia não evangélica ensina que a salvação da pessoa está na conduta/vontade desse Adam – do início ao fim. Nesse sentido, a salvação acontece pelas obras e pela fé que a pessoa tem para se salvar. Neste artigo, apresentam-se duas visões opostas, pois uma ensina que a salvação começa e termina na vontade de Deus; a outra, que a salvação começa e termina na vontade da pessoa. Contudo, diante da exposição histórica da teologia da salvação, é possível entender que por si só a humanidade não conseguiria obter a salvação se Deus não a providenciasse. Objetivo deste artigo, nesse contexto, é compreender o posicionamento evangélico/calvinista na história da igreja. Para tanto, como baliza norteadora, a metodologia pressuposta neste material foi baseada em teólogos conservadores.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35521/unitas.v9i1.2495

Apontamentos

  • Não há apontamentos.