A ANGÚSTIA EM HEIDEGGER E A ESPERANÇA EM MOLTMANN: UM DIÁLOGO ESPECULATIVO

Alonso S. Gonçalves

Resumo


O texto se propõe a dialogar com a ideia de angústia (Angst), presente no pensamento filosófico de Martin Heidegger, uma vez que para o filósofo existencialista a angústia é uma manifestação do Dasein, ou seja, a existência humana se reconhece contingente como ser-no-mundo tendo na angústia o elemento que coloca o ser em movimento nas condições da existência, dando a ela (a angústia) uma dimensão ontológica. Por outro lado, está diante do ser a possibilidade de superar a angústia por meio da transcendência, dando, portanto, um sentido ao ser. É dentro dessa abertura heideggeriana que o presente artigo procura abrir um diálogo com a teologia de Jürgen Moltmann, mais especificamente, a sua concepção de esperança (Hoffnung), por compreender que a esperança pode contribuir como uma possibilidade ontológica a partir da filosofia de Ernst Bloch para um diálogo especulativo Heidegger-Moltmann.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.35521/unitas.v3i1.213

Apontamentos

  • Não há apontamentos.