Pathos e cuidado: Dorothy Mae Stang e o cuidado como afetação

CLAUDETE BEISE ULRICH, ABDRUSCHIN SCHAEFFER ROCHA

Resumo


O presente texto reflete sobre a relação entre pathos e cuidado. Partindo do conceito de cuidado como modo-de-ser, procura superar a mera ação de cuidar, apontando para a possibilidade de um cuidado como afetação. O conceito de pathos evoca um suportar, um sofrer, ser tocado, ou seja, uma instância em que nunca se está no controle. Nesse sentido, parte do pressuposto de que essa instância também pode ter sentido terapêutico, na medida em que as próprias feridas do cuidador e sua participação nas feridas de outrem se transformam em fonte de cuidado. Nesses termos, apresenta-se uma breve biografia da Irmã Dorothy Mae Stang, uma freira americana, naturalizada brasileira que trabalhou entre os mais pobres na floresta Amazônia.  Reflete-se como a sua ação pastoral e missionária foi afetada pela vida dos mais pobres, e pela exploração da floresta, sendo assassinada pelas causas que defendia. A sua história de vida continua afetando a todos e todas que buscam relações mais amorosas e solidárias entre as pessoas e estas com a terra e a floresta. A morte de Dorothy nos toca, denunciando a comercialização da floresta amazônica e nos convoca para o cuidado integral com toda a criação.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v13i21.981

Apontamentos

  • Não há apontamentos.