Mulheres no ministério pastoral batista

Valdir Stephanini

Resumo


Este artigo lida com a questão da presença de mulheres no ministério pastoral em Igrejas Batistas filiadas à Convenção Batista Brasileira. Tendo como referencial teórico, conceitos como ordenação, consagração e imposição de mãos à luz da teologia batista o texto propõe uma abordagem bíblico-teológica da questão. O tema vem recebendo inúmeros debates e discussões por parte dos batistas brasileiros nas últimas décadas, sem consenso entre suas lideranças. A Convenção Batista Brasileira transferiu a responsabilidade da decisão de permitir ou não a presença de mulheres no ministério pastoral para os pastores batistas do Brasil membros da Ordem dos Pastores Batistas do Brasil (OPBB). The OPBB, por sua vez, transferiu a responsabilidade da decisão para as seções regionais de pastores, em cada estado da federação brasileira, que decidiram pela aceitação ou rejeição da matéria. Aspectos pragmáticos ajudam a elucidar a coerência de se conceder a condição de pastoras para as mulheres que já tem servido na liderança de Igrejas Batistas ao longo de sua história, sem, contudo, receber o status de pastoras.

This article deals with the question of the presence of women in the pastoral ministry in Baptist Churches affiliated to the Brazilian Baptist Convention. Having as theoretical reference, concepts such as ordination, consecration and imposition of hands in the light of Baptist theology, the text proposes a biblical-theological approach to the question. The theme has been receiving countless debates and discussions on the part of the Brazilian Baptists in the last decades, without consensus among its leaderships. The Brazilian Baptist Convention transferred the responsibility for deciding whether or not to allow the presence of women in the pastoral ministry for the Brazilian Baptists Pastors members of the Brazilian Baptists Pastors Bureau (Ordem dos Pastores Batistas do Brasil - OPBB). The OPBB, in turn, transferred the responsibility of the decision to the regional sections of pastors, in each state of the Brazilian federation, that decided for the acceptance or rejection of the matter. Pragmatic aspects help to elucidate the consistency of granting pastoral status to women who have already served in the leadership of Baptist Churches throughout their history, without, however, receiving pastoral status.


Texto completo:

PDF

Referências


CLOUSE, Bonnidell; CLOUSE, Robert G., Mulheres no ministério pastoral: quatro opiniões sobre o papel da mulher na igreja. São Paulo: Mundo Cristão, 1996.

AURÉLIO, Dicionário da Língua Portuguesa. Disponível em: . Acesso em: 04 set. 2017.

DEIFELT, Wanda. Mulheres pregadoras: uma tradição a igreja. Theophilos: Revista de Teologia e Filosofia. Canoas: Universidade Luterana do Brasil (Ulbra). Vol. 1, n.2 (2001), p.353-372.

FERREIRA, Ebenezer Soares. Manual da Igreja e do Obreiro. Rio de Janeiro: JUERP, 2002.

GEBARA, Ivone. Vulnerabilidade, justiça e feminismos: antologia de textos. São Bernardo do Campo: Nhanduti Editora, 2010.

GETZ, Gene A. Igreja: forma e essência, o corpo de Cristo pelos ângulos das Escrituras, da História e da Cultura. São Paulo: Vida Nova, 1994.

LANDERS, John. Teologia dos princípios batistas. Rio de Janeiro: JUERP, 1986.

MICKELSEN, Alvera. Um ponto de vista igualitário: não há homem nem mulher em Cristo. In: CLOUSE, Bonnidell; CLOUSE, Robert G., Mulheres no ministério pastoral: quatro opiniões sobre o papel da mulher na igreja. São Paulo: Mundo Cristão, 1996.

OLIVEIRA, Zaqueu Moreira de. Imposição de mãos: mulheres pastoras? Recife: STBNB Edições, 2001.

STEGEMANN, Ekkehard W; STEGEMANN, Wolfgang. História social do protocristianismo: os primórdios no judaísmo e as comunidades de Cristo no mundo mediterrâneo. São Leopoldo: Sinodal; São Paulo: Paulus, 2004.

TAYLOR, William Carey. Dicionário do Novo Testamento Grego. Rio de Janeiro: Casa Publicadora Batista, 1965.

http://pastorazenilda.blogspot.com.br. Acesso em: 30 abr. 2018.




DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v12i19.721

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Valdir Stephanini

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.