TRADIÇÕES JUDAICO-CRISTÃS COMO ESPAÇOS DE SEMIOSE: PERSPECTIVAS METODOLÓGICAS LOTMANIANAS E LEITURA DE TEXTOS RELIGIOSOS

Kenner Roger Cazotto Terra, Ronaldo de Paula Cavalcante

Resumo


O ambiente cultural – semiosfera – como lugar da comunicação de textos torna-se a base da linguagem. Cultura e linguagem são elementos da semiótica que inclusive possibilitam a produção de novos textos com funções de comunicação, sentido e memória cultural. A pesquisa semiótica foi ricamente desenvolvida em vários centros universitários da Rússia na década de 1960 em diante. Iuri Lótman foi um aglutinador e promotor destas reflexões que hoje estão presentes em praticamente todas as universidades e centros acadêmicos do mundo. Tal dinâmica pode ser observada igualmente em ambientes do judaísmo e cristianismo. Um bom exemplo é a abordagem semiótica do “Mito dos Vigilantes” presente no livro de Enoque e sua relação com o cristianismo nascente em diversos textos neotestamentários.


Texto completo:

PDF

Referências


AMÉRICO, Ekaterina V. Alguns aspectos da semiótica da cultura de Iúri Lótman. 2012. Tese (Doutorado em Letras) — Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012, p. 63.

APULEYO. El asno de oro. Estudio Preliminar y Traducción de Vicente López Solo. Barcelona: Editorial Juventud, s.d.

BAUCKHAM, R. J. 2 Peter. In: MARTIN, Ralph P.; DAVIDS, Peter H. (ed.). Dictionary of the Later New Testament & Its Developments. Downers Grove: Inter Varsity Press, 1997.

BAUCKHAM, R. Jude, Epistle of. In: FREEDMAN, D. N. (ed.) Anchor Bible Dictionary. New York, Doubleday, 1992.

BILLINGS, Bradly S. The Angels who Sinned… He Cast into Tartarus (2 Peter 2:4): Its Ancient Meaning and Present Relevance.In: The Expository Times, n. 119, p. 152-157, 2008.

BOCCACCINI, Gabriele. Beyond the Essene Hypothesis: The Parting of the Ways between Qumran and Enochic Judaism. Grand Rapids: William B. Eerdmans, 1998

CHARLES, J. Daryl. Jude’s Use of Pseudepigraphical Source-Material as Part of a Literary Strategy. New Testament Studies, n. 37, p. 130-145, 1991.

ELLIOTT, J. H. 1 Enoch, 1 Peter, and Social Scientific Criticism. A Review Article on a Major 1 Enoch Commentary. In: Biblical Theology Bulletin, n. 39, p. 41, 2009.

ELLIOTT, J. H. 1 Peter: A New Translation with Introduction and Commentary. New York: Doubleday, 2008 (The Anchor Bible 37B).

FIORIN, José Luiz. As astúcias da enunciação: as categorias de pessoa, espaço e tempo. São Paulo: Ática, 2008.

HIEBERT, D. Edmond. The Suffering and Triumphant Christ: An Exposition of 1 Peter 3:18-22. In: Bibliotheca Sacra, p. 146-158, 1982.

Hjelmslev, L. Semântica estrutural. São Paulo: Cultrix/EDUSP, 1973.

KITTEL, G.; FRIEDRICH, G.; BROMILEY, G. W. (ed.). TDNT. Grand Rapids: W.B. Eerdmans, 1995, c1985. v. 2, p. 702.

LÓTMAN, I. La semiótica de la cultura y el concepto de texto. In: ______. La semiosfera I: Semiótica de la cultura e del texto. Madrid: Ediciones Cátedra, 1996, p. 77-82.

LÓTMAN, I. Tese para uma análise da semiótica da cultura (Uma aplicação aos textos eslavos). In:

LÓTMAN, I. Universe of the Mind: A Semiotic Theory of Culture. Bloomington; Indianapolis: Indiana University Press, 1990.

LÓTMAN, I. La semiosfera I: semiótica de la cultura e del texto. Madrid: Ediciones Cátedra, 1996.

MACHADO, Irene. Concepção sistêmica do mundo: Vieses do círculo intelectual bakhtiniano e da escola semiótica da cultura. Bakhtiniana, São Paulo, 8 (2): 136-156, Jul/Dez, 2003.

MACHADO, Irene. Escola de semiótica: a experiência de Tártu-Moscou para o estudo da cultura. São Paulo: Ateliê Editorial; FAPESP, 2003

NICKELSBURG, G. W. E. 1 Enoch: A Commentary on the Book of 1 Enoch, Chapters 1-36; 81-108. Minneapolis: Fortress, 2001.

NICKELSBURG, George W. E. Enoc, Levi, and Peter: Recipients of Revelation in Upper Galilee. Journal of Biblical Literature, n. 100, p. 581-82, 1981.

NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza. Como ler as cartas de Pedro: o evangelho dos sem-teto. 2. ed. São Paulo: Paulus, 2002

NOGUEIRA, Paulo Augusto de Souza. Experiência religiosa e crítica social no cristianismo primitivo. São Paulo: Paulinas, 2003.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios & procedimentos. Campinas: Pontes, 1999.

SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. São Paulo: Cultrix, 2006.

SEBASTA, J. L. Women’s Costume and Feminine Civic Morality in Augustan Rome. Gender and History, v. 9, n. 3, p. 529-541, 1997. ]

STRELAN, R. The Fallen Watchers and the Disciples in Mark. Journal for the Study of the Pseudepigrapha, n. 20, p. 73-92, 1999.

STROUMSA, G. Another Seed: Studies in Gnostic Mythology. Leiden: E. J. Brill, 1984 (Nag Hammadi Studies 24), p. 19-34.

TERRA, K. R. C. Comunidade apocalíptica de I Pedro: o sofrimento como anúncio consolador escatológico. In: REIMER, H.; VALMOR, Silva. Libertação-liberdade: novos olhares. Contribuições ao II Congresso Brasileiro de Pesquisa Bíblica. São Leopoldo: Oikos, 2008, p. 219-227

TERRA, Kenner R. C. Um lar (celestial) para quem não tem casa: uma história da tradição de 1 Pedro. Âncora: Revista Digital de Religião, v. 4, ano 2, 2008

VANDERKAM, James C. Enoch, a Man for All Generations. Columbia: University of South Carolina Press, 1995.

VIEIRA, Jorge de Albuquerque. Semiosfera e o conceito de Umwelt. In: MACHADO, Irene (org.). Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo: FAPESP; Annablume, 2007, p. 99-113.

VIEIRA, Jorge de Albuquerque. Semiosfera e o conceito de Umwelt. In: MACHADO, Irene (org.). Semiótica da cultura e semiosfera. São Paulo: FAPESP; Annablume, 2007, p. 99-113.




DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v12i20.661

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2018 Kenner Roger Cazotto Terra, Ronaldo de Paula Cavalcante

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial 4.0 Internacional.