Luteranos no Brasil Holandês (1630–1654). Repensando a presença luterana em duas fases de migração

Wilhelm Wachholz, Francisca Jaquelini de Souza Viração

Resumo


O artigo tem por objetivo analisar a presença luterana no Brasil Holandês (1630 – 1654), a partir da migração de refugiados alemães nos Países Baixos, e de soldados alemães e escandinavos alistados na companhia neerlandesa das índias ocidentais. A presença luterana no Brasil Holandês implica uma releitura da história do luteranismo no Brasil, tratando-o a partir de duas imigrações, a saber, uma iniciada em 1632, no Brasil Holandês, e outra, com em 1824, em São Leopoldo, no Rio Grande do Sul e Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. Este estudo apresenta as novas descobertas historiográficas, sob a perspectiva da nova história cultural em diálogo com a história da igreja e a teologia.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v14i2.2417

Apontamentos

  • Não há apontamentos.