Protestantismo em Marx – Economia e Teologia

Oneide Bobsin

Resumo


Problematizaremos no presente artigo a contradição marxiana entre a afirmação unversalizante sobre a religião como ópio do povo e análise favorável aos textos de Martim Lutero sobre comércio e contra a usura. Se Lutero e o luteranismo alemão sofreram duras críticas de Marx pelo fato de a revolução ter nascido na Alemanha na cabeça de um monge, Lutero, e mais tarde renovada pela cabeça de um filósofo, Hegel, tornando-se pouco prática, a mesma avaliação não foi sustentada por Marx a respeito do reformador como o “primeiro economista alemão”. O texto tratará, pois, da relação entre teologia e economia em obras de Marx que se reportam a Martim Lutero.


Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v14i2.2389

Apontamentos

  • Não há apontamentos.