A DIMENSÃO COMUNICATIVA DA AÇÃO MISSIONÁRIA E AS CULTURAS

David Mesquiati de Oliveira

Resumo


O presente artigo parte de uma crítica da modernidade do filósofo Jürgen Habermas para analisar seu desdobramento na teologia da missão. O ponto focal é a comunicação transcultural do Evangelho. O respeito às culturas no mundo, os modelos missionários vigentes e os objetivos da missão são confrontados reiteradas vezes com a chamada Missão de Deus. Tendo como pano de fundo a igreja-em-missão e as culturas, o trabalho analisa como o Evangelho pode contribuir para a transformação do mundo em que vivemos. A teologia da missão passa por muitas mudanças e a igreja é confrontada a um mundo cada vez mais distinto. A modernidade exerceu forte influência na prática missionária e, também por isto, a missão ficou vulnerável a muitas críticas. Se considerarmos que o mundo atual está em uma fase de transição de paradigma, apresenta-se um grande desafio para a igreja-em-missão debater acerca dos novos parâmetros que começam a vigorar. O texto caminha nessa direção e se propõe a colocar no centro as principais questões que envolvem esse debate.

Texto completo:

PDF () PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.20890/reflexus.v3i3.110

Apontamentos

  • Não há apontamentos.