IRMANDADE DA BOA MORTE: VIDA, RESISTÊNCIA E DEVOÇÃO

Esmeraldo Alves dos Santos Sobrinho

Resumo


A Comunidade da Boa Morte é uma confraria de mulheres negras existente na cidade de Cachoeira, situada no Recôncavo baiano, e que tem suas atividades desde o final do sec. XIX, sendo o seu exercício limitado às mulheres ligadas ao culto afro e que também se autodenominam católicas. Buscar-se-á com o trabalho compreender a cidade e a formação do seu campo religioso, uma vez que este tem forte influência do catolicismo ibérico, das religiões africanas, pois a cidade tem uma das maiores populações negras do Brasil, da influência indígena que existia na região e do protestantismo existente na cidade há mais de cem anos. Levar-se-á em consideração a importância histórica e econômica que a cidade possuía e possui na atualidade e também toda a conjuntura cultural marcante na formação social e religiosa deste município. O estudo será feito através de levantamento da história oral, documentos e estudo de outros trabalhos que já foram realizados sobre esta confraria. A intensão de estudar a irmandade sob a perspectiva do hibridismo e sincretismo religioso buscando compreender como ocorreu, em que medida as religiões envolvidas se apresentam, se existe elementos religiosos de outras matrizes também manifestados, as convergências e divergências do processo e a importância cultura, social e religiosa desta confraria e também estudar o dia a dia, sua religiosidade, suas festas e a identidade desta confraria de mulheres idosas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.